Menino

Padrão

Menino 

       País Longínquo

O meu sofrimento
É simples
Tal como para cuidar de um animal de um país longínquo
Não é necessário um tratador.

A minha poesia
É simples
Tal como para ler uma carta de um país longínquo
Não são necessárias lágrimas

As minhas alegrias e penas
Ainda são mais simples
Tal como para matar um homem de um país longínquo
Não são necessárias palavras.


Poema de Tamura Ryuichi
trad.:  José Alberto Oliveira    Rosa do Mundo

 

One response »

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s